CINCO IGREJAS PARA VISITAR EM OLINDA
O turismo religioso no Brasil movimenta cerca de 20 milhões de viagens todos os anos, de acordo com o Ministério do Turismo. Olinda é cercada por igrejas e sua história se confunde com a gigante influência da igreja católica no desenvolvimento da cidade de um modo geral. Por isso, listamos cinco igrejas que contribuíram e contribuem com a movimentação do Sítio Histórico de Olinda, tombado pela Unesco como patrimônio histórico e cultural da humanidade.
Convento e Igreja de São Francisco
A construção iniciou em 1585 e é o primeiro convento da Ordem Franciscana no Brasil (grupo de ordem religiosa fundado por Francisco de Assis). O espaço abriga a igreja de Nossa Senhora das Neves (século 16), e as capelas Capítulo (século 16), Sant’Ana (século 18) e São Roque (século 19). Os espaços são ricos em azulejos portugueses e detalhes barrocos. Na área do claustro (pátio interno), 16 painéis de azulejos portugueses azul retratam a vida e a morte de São Francisco de Assis, frade que renovou o catolicismo da época com a ordem franciscana.
Na igreja, na sacristia e nas capelas, o trabalho de talha em madeira chama atenção pela sua riqueza de detalhes, além da presença de caixotes que contém pinturas do século XVIII. O espaço abriga, ainda, no mosteiro, uma biblioteca com acervos de obras raras, onde já foi instalada a primeira biblioteca pública do estado de Pernambuco.
O conjunto foi incluído na relação de monumentos do Centro Histórico de Olinda, tombado como patrimônio da humanidade pela Unesco, em 1982.
Igreja da Sé
Construída em taipa (barro) no ano de 1540, a igreja é dedicada a Jesus Cristo
como São Salvador do Mundo (antes denominada de Matriz do São Salvador). Após construções e reformas, foi substituída por outro templo em 1584. Desta vez, o espaço passou a ser maior, de alvenaria e com algumas capelas secundárias. Em 1616, a sacristia e outros espaços foram edificados, até que pouco tempo depois foi levada à condição de Matriz. Em 1676, com a criação do Bispado de Olinda, a antiga Matriz ganhou o título de Catedral.
Diante das diversas intervenções, a fachada ficou descaracterizada da forma original e, durante os anos 1974 e 1976, a edificação foi restaurada para voltar ao estilo original, que transita entre a Renascença e o Barroco. Na capela-mor da igreja permanece o trono episcopal, as tumbas de alguns bispos e o túmulo de Dom Helder Câmara, arcebispo das cidades-irmãs no período de 1964 a 1985 e grande defensor dos direitos humanos durante a ditadura militar.
Com uma das vistas mais bonitas de Olinda e Recife, é um dos pontos turísticos mais visitados do Sítio Histórico de Olinda.
Igreja da Misericórdia
A igreja de Nossa Senhora da Misericórdia foi criada em 1540 por ordem da coroa portuguesa. O templo fazia parte da primeira Santa Casa de Misericórdia construída no Brasil. A Santa Casa era uma instituição que surgiu em Lisboa, em 1492, e funcionava como uma espécie de abrigo que acolhia doentes, idosos, ajudava os pobres e resgatava recém-nascidos abandonados pelo país. No ponto mais alto de Olinda, a instituição criou a igreja em homenagem a Nossa Senhora da Misericórdia.
Durante o período da invasão holandesa, em 1630, o conjunto foi destruído. Anos depois houve uma restauração parcial conduzida por Maurício de Nassau e somente em 1654 o local foi completamente restabelecido, após Pernambuco ser retomado pelas tropas luso-brasileiras.
Durante o século XVIII a igreja enfrentou várias reformas. Em uma delas, o teto ganhou a decoração com pinturas sobre a vida da Virgem Maria.
Mosteiro de São Bento
A segunda instalação beneditina no Brasil, o Mosteiro de São Bento foi construído em 1586, destruído pelos holandeses e reconstruído a partir de 1654, com conclusão no ano de 1759. Já abrigou a primeira Escola de Direito do País, em 1811.
A Ordem de São Bento, os “beneditinos”, é a mais antiga ordem religiosa do catolicismo, que se baseia, com rigor, nos preceitos destinados a regular a convivência social.
Com seu estilo Barroco, o Mosteiro é um importante complexo arquitetônico em Olinda. Foi tombado pelo Iphan, assim como outros espaços do Sítio Histórico. O local detém peças de grande valor artístico, como sanefas de talha dourada (estrutura da parte superior de uma cortina), gradis de jacarandá (árvore) e pinturas sobre episódios da vida de São Bento. No local também estão sepultados vários monges que viveram no mosteiro.
Igreja do Carmo
A igreja foi construída em 1581 com a chegada da Ordem dos Carmelitas. Anteriormente, em 1580, foi edificada como Capela de São Gonçalo e Capela de Santo Antônio.
A Ordem do Carmo, ou Ordem dos Carmelitas corresponde à ordem religiosa católica que surgiu no final do século XI na região de Monte Carmelo, em Israel. A ordem adota um modo de vida dedicado ao isolado para o encontro com Deus através da oração, meditação e trabalho manual.
A Igreja do Carmo possuía o maior sino da cidade. Em 1630 foi retirado e transformado em armamento pelos holandeses, que expulsaram frades da igreja e do convento no período em que as obras estavam em fase de conclusão. Em 1720, os portugueses conseguiram reconstruir o edifício. Como a maioria das igrejas da cidade, o estilo da Igreja do Carmo seguiu o padrão barroco da época. Detém de quadros a óleo sobre madeira pintada pelos frades, que representam parte do trabalho realizado pelos religiosos da época. Além disso, em frente à igreja está o terceiro cruzeiro existente na Primeira Capital Brasileira da Cultura. Após uma importante reforma, o monumento foi reaberto em 04 de agosto de 2012.
SERVIÇO
Convento e Igreja de São Francisco
Visitação: de segunda a sábado, de 9h às 12h30 e de 14h às 17h30. Entrada: R$ 3,00 por pessoa.
Missas: terça-feira, às 19h, sábado, às 17h, e domingo, às 8h.
Igreja da Sé
Visitação: Aberta todos os dias, das 8h às 16h.
Missas aos domingos, às 9h.
Igreja da Misericórdia
Visitação suspensa. Igreja em reformas.
Mosteiro de São Bento
Visitação: todos os dias, das 9h às 11h45 e das 14h às 17h.
Missas: todos os dias, de 6h30; domingo, canto gregoriano às 10h.
Igreja do Carmo
Visitação: terça a sábado, das 09h às 17h.
#igreja#olinda#pernambuco#turismo

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.